Partido de Xanana Gusmão reunido para discutir cenários de governação

O Conselho Nacional da Reconstrução de Timor-Leste (CNRT), partido de Xanana Gusmão, que venceu sem maioria absoluta as eleições legislativas de sábado no país, disse hoje que a sua formação continua reunida a discutir cenários de governação.

Segundo os resultados distritais provisórios divulgados domingo pelo Secretariado Técnico da Administração Eleitoral (STAE) timorense, o CNRT obteve 30 dos 65 lugares do parlamento timorense, não conseguido a maioria absoluta desejada para governar.
“Continuamos a discutir”, disse hoje à agência Lusa o secretário-geral do CNRT, Dionísio Babo.
Na segunda-feira, Dionísio Babo explicou que o partido iria em primeiro lugar discutir possíveis cenários e só depois contactar os partidos políticos para uma eventual coligação.
À primeira vista uma eventual coligação poderá ocorrer com o Partido Democrático (PD), de Fernando La Sama de Araújo, que faz parte do atual executivo de Aliança de Maioria Parlamentar, liderado por Xanana Gusmão, que governou o país nos últimos cinco anos.
Nas legislativas de sábado, o PD conseguiu eleger oito deputados e já admitiu que poderá fazer uma coligação com o CNRT.
Contactado hoje pela Lusa, António da Conceição, secretário do Conselho Político Nacional do PD, disse que o partido mantém a posição de “andar” com o CNRT, mas que ainda não houve contactos formais entre os dois partidos.
A Frente Revolucionária do Timor-Leste Independente (Fretilin), do antigo chefe de Governo Mari Alkatiri, e que conseguiu 25 assentos parlamentares, também já disse estar disponível para contribuir para uma aliança programática.
Na segunda-feira, Mari Alkatiri disse que a Fretilin está pronta para contribuir para uma governação de aliança que seja credível.
“Tão cedo não haverá novidades. Isto não dá para tratar de um dia para o outro”, disse hoje Mari Alkatiri.
A Frente Mudança, do vice-primeiro-ministro José Luís Guterres, partido nascido de uma cisão da Fretilin, foi o último que conseguiu representação parlamentar nas legislativas de sábado, elegendo dois lugares no hemiciclo.
A Comissão Nacional de Eleições iniciou hoje o apuramento nacional dos resultados das eleições, tendo até sexta-feira para os remeter para o Tribunal de Recurso.
O Tribunal de Recurso terá depois também um prazo de 72 horas para se pronunciar sobre os resultados.
Só depois de anunciados os resultados oficiais pelo Tribunal de Recurso e publicados no Jornal da República é que o Presidente de Timor-Leste, Taur Matan Ruak, deverá convocar os partidos para encontros e pedir ao partido mais votado ou à aliança de partidos com maioria parlamentar para formar governo.
A Constituição de Timor-Leste não define prazo para a tomada de posse dos membros do Governo, mas o mandato do executivo termina a 08 de agosto, precisamente cinco anos depois da sua posse.
Depois de divulgados os resultados em Diário da República, o parlamento tem 15 dias para dar posse aos novos deputados.
MSE.
Lusa/Fim
@ Agência Lusa
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: