"É preciso preservar a memória do legado de Timor", diz Matan Ruak

O Presidente da República de Timor-Leste, Tuar Matan Ruak, destacou a importância do novo Arquivo e Museu da Resistência, hoje inaugurado, na preservação da memória do legado do país, sobretudo para as gerações mais jovens.

“As crianças e os jovens que já nasceram num Timor-Leste livre e soberano têm a partir de hoje um local onde podem aprender a história recente do nosso país”, destacou o chefe de Estado timorense, na cerimónia de inauguração deste arquivo e museu, que contou com a presença do Presidente da República português, Cavaco Silva.

Para Matan Ruak, que foi esta madrugada empossado Presidente da República Democrática de Timor-Leste, o Arquivo e Museu da Resistência vai incorporar a história dos que permitiram que Timor-Leste possa estar a festejar hoje o X Aniversário da Restauração da Independência.

“São muito mais do que um depósito seguro de um espólio a preservar, permitirão algo que considero essencial: preservar a memória e os valores de um período estruturante do nosso país”, disse, no seu primeiro discurso oficial em português.

Comitiva portuguesa

À cerimónia assistiram, além da comitiva portuguesa que integra o ex-Presidente da República Ramalho Eanes e representantes de todos os grupos parlamentares, o ex-Presidente da República timorense Ramos-Horta, a Governadora Geral da Austrália, Quentin Bryce, e o Governador Geral da Nova Zelândia, Jerry Mateparae.

O novo Arquivo e Museu da Resistência Timorense, organizado em colaboração com a Fundação Mário Soares, alberga documentos da resistência timorense e uma exposição que começa por uma introdução à história do país, passa pelos vários reinos de Timor e as revoltas dos reinos e depois aborda o aparecimento dos partidos, o princípio da guerra civil em agosto de 1974, a declaração unilateral da independência, a invasão indonésia e a resistência armada, a frente clandestina e a frente diplomática.

Benção pelo bispo de Díli

No final da cerimónia, que incluiu a bênção do edifício pelo bispo de Díli e várias atuações musicais sob um calor intenso, alguns dos convidados, incluindo Cavaco Silva, visitaram o museu e assistiram ao lançamento da obra em tétum “Dignidade – Konis Santana e a Resistência Timorense”, da autoria do historiador José Mattoso.

O lançamento contou com o “patrocínio” do primeiro-ministro timorense, Xanana Gusmão, que se empenhou pessoalmente na venda de vários exemplares, valorizados por conterem o seu autógrafo.

Com o final das cerimónias do X Aniversário da Restauração da Independência de Timor-Leste, o Presidente da República, Cavaco Silva, começa de imediato uma visita de Estado ao território, que inclui, à tarde, um encontro oficial com Matan Ruak e um banquete de Estado entre os dois homólogos.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/e-preciso-preservar-a-memoria-do-legado-de-timor-diz-matan-ruak=f727309#ixzz1vUrgiNFF

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: