Chefe das Forças Armadas e ex-ministro rejeitam imunidade



“O chefe das Forças Armadas e o ex-ministro da Defesa de Timor-Leste pretendem ser inquiridos no processo de entrega de armas em 2006, “rejeitando” a sua alegada imunidade, afirmou hoje à Agência Lusa um dos seus advogados.
A equipa de defesa do Estado-Maior alega que “a imunidade nem sequer existe neste caso e neste momento do processo”.”A troca de declarações entre a Procuradoria-geral da República (PGR) e a Presidência da República não faz sentido”, adiantou a mesma fonte à Lusa.
“Por isso e porque não têm nada a esconder, Taur Matan Ruak e Roque Rodrigues querem ser ouvidos no processo das armas de 2006”, declarou à Lusa um dos seus advogados.
O brigadeiro-general Taur Matan Ruak, chefe do Estado-Maior-general das Falintil-Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL) e o ex-ministro Roque Rodrigues são indicados como suspeitos no relatório final da Comissão Especial Independente de Inquérito (CEII) para Timor-Leste.
A CEII recomenda a abertura de uma investigação judicial a várias pessoas ligadas à distribuição de armas, incluindo o CEMGFA e o ex-ministro.
Três oficiais superiores do Estado-Maior timorense foram já inquiridos pelo Ministério Público no caso da entrega de armas a civis em Maio de 2006: os coronéis Lere Anan Timor e Falur Rate Laek e o major Mau Buti.
A PGR pediu há quatro meses à Presidência da República o levantamento da imunidade de Taur Matan Ruak e Roque Rodrigues, membros do Conselho Superior de Segurança e Defesa Nacional (CSSDN).”
…/…
Anúncios

One comment

  1. Pois bem! Espero que esclarecam as responsabilidades.O facto e’ que quer queiram quer nao a distribuicao das armas da F-FDTL a civis foi para todos os efeitos um crime segundo as leis vigentes em Timor.Agora so resta saber o grau de responsabilidade de cada um e quem foi o responsavel maximo da altura na aprovacao dessa distribuicao ilegal.Ou o Roque Rodrigues segue o exemplo de Rogerio Lobato e assume as responsabilidades sozinho ou entao respira fundo e diz que recebeu uma aval do seu superior hierarquico.Ficou claro logo em 2006 que a F-FDTL nao fez essa distribuicao ilegal de armas unilateralmente sem qualquer aprovacao do poder civil.Resta aos resposaveis civis assunirem agoras as suas devidas responsabilidade.Alguem sabe porque razao o Mari foi para Maputo e por quanto tempo vai la ficar?

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: